Vandal Mandou Um $ALVEH (Videoclipe)

Vandal mandou um $ALVEH com a precisão, força e clareza nas ideias da sua poesia, em um clipe com as obras do artista SuperAfro de fundo!!!!

Quem esta na guerra diária e tem disposição pra enfrentar qualquer coisa ou pessoa, em geral utiliza a expressão: “não vejo bicho com nada, nem com ninguém”. Ao mesmo tempo, estando de um lado da fronteira, reconhece, ou antes, desconhece os rivais nomeando-os de alemão. Em seu single lançado nesta tarde de quarta-feira 27/09, Vandal como uma das melhores escritas do rap nacional, utiliza a linguagem da rua, contra os erros da própria rua. A certa altura o mc rima:

“Todo mundo é alemão/ Cês tão vendo bicho irmão/ só fazendo merda irmão”.

Uma das mazelas implementadas pela politica de combate drogas em nosso país e que vitima milhares de negros por ano em toda diáspora. Tal procedimento estratégico dos poderes é aqui descortinado pelo rapper do modo mais simples possível: Emoção de facção! Ou seja, a criação de uma rivalidade artificial de defesa do comércio de drogas, fabricada pela proibição do consumo e do tráfico.  E qual seria o papel do poeta senão trazer a tona clinicamente os sintomas dos tempos em que vive?

A música presente em sua excelente mixtape TIPOLAZVEGAZH (2015), recebe agora um videoclipe pesado, produzido dentro da exposição do artista plástico SuperAfro. O artista plástico baiano que nesse trabalho produziu retratos em acrílico na cor azul, trabalhando com dois simbolismos importantes. O Racismo e a grandeza ancestral dos homens e mulheres negras. Por um lado, a ideia racista de que os negros retintos sejam tão pretos que são azuis, e por outro o símbolo ancestral do azul que os egípcios relacionavam a realeza. Uma dualidade presente em todos negros e negras em diáspora, vivendo entre o passado glorioso que é cotidianamente exterminado através do epistemicídio e o racismo também cotidiano. 

Entre música e pintura, o vídeo reúne essa infinidade de signos inter-relacionando-os e produzindo em riqueza de detalhes toda a implicação que a curta letra amalgama quase como um aforismo. Se é certo que Vandal dispensa introdução, é tão certo quanto que é preciso acompanhar o processo. Então fica com a mixtape que o mano soltou e aguarde que mais novidades vem por aí!

Download do disco aqui.

Sobre o Autor

Danilo

Bodyboarder de alma, pandeirista de ocasião. Pagodeiro nas horas loucas. Quer apenas poder dormir em paz nos ônibus e acredita que os fones de ouvido são fundamentais para a criação de uma nova religião capaz de acabar com o mal no mundo. Vive de Boas...

Notícias relacionadas

Comentar