Nêgo Roque d’OQuadro contra efetuando o game!

OQuadro - Nego RoqueNêgo Roque d’OQuadro é o segundo disco da banda de rap que saiu de Ilhéus pra ganhar o Brasil e o mundo com uma originalidade estética ímpar

Por Simone de Almeida Souza

O segundo trabalho d’OQuadro foi lançado em novembro deste ano, cinco anos após o lançamento do primeiro disco OQuadro (2012). De lá pra cá o mundo da música mudou e se reinventou várias vezes, especialmente no que diz respeito ao rap.   “Nego Roque” prova que OQuadro acompanhou essa mudança.

Produção, gravação, mixagem, direção de arte, ilustração: o álbum é fruto maduro baiano. A produção futurista de Rafa Dias em conjunto com a banda resulta num vai e vem de referências; ora atualíssima com arranjos de trap cheios de peso no grave, autotune e efeitos, ora volta à sonoridade melodiosa, polirrítmica e de apego (necessário) às raízes que são próprias e marcantes d’OQuadro. Vale ressaltar que a banda nunca se prendeu ao modo americano de se fazer rap.

A banda é conhecida justamente por ser um rap não convencional –  só pra lembrar e começar, é uma banda completa, com MCs, DJ, baixo, bateria, guitarra e percussão, o que enriquece ainda mais as variações de arranjo e timbres nas composições e explica a hibridez de Nego Roque, tanto álbum quanto personagem – a faixa-título conta com um bounce afropunk maravilhoso e participação de BNegão. Um dos highlightsé “Me diz quanto vale”, que casou “abrasileiradamente” bem com a métrica gringa , é sem dúvida uma das músicas mais vibe do disco. “Luz” também não passa despercebida com seu toque sensual e envolvente e participação de Raoni Knalha, cantando lindamente, e também de Indee Styla, rapper de Barcelona que carrega influências jamaicanas em seu trampo. Vale a pena lembrar de “Trabalho” e “Gang”, as quais sempre estou cantarolando, rs.“Muita onda” e “Jahggant” foram lançados como single.

Lírica aqui é mato e faz valer o quinto elemento do hip hop, pois as letras trazem discussões muito mais relevantes do que as ideias ególatras da nova geração do rap. Fala sobre as angústias do homem preto no nosso país e de sua posição na sociedade em relação às consequências da diáspora africana.“Estudar a cultura dá firmeza nas linhas”.O Quadro se mantém incólume em sua essência

Nego Roque, eu vejo você. 

 

Seção de recomendações por Freeza d’OQuadro:

*Kanye West – Blkkk skkkn head

[https://www.youtube.com/watch?v=q604eed4ad0]

*Bad Brains – Sailin’ on

[https://www.youtube.com/watch?v=8SIkoGIQuww]

*Childish Gambino – Me and your mama

[https://www.youtube.com/watch?v=_hZCsgcKa-g]

*Tricky – Black Steel

[https://www.youtube.com/watch?v=9ZJTM03UByU]

*Os Incríveis – Ogum

[https://www.youtube.com/watch?v=aVOyOVQuhKI]

 FICHA TÉCNICA:

Participações: BNegão, DJ Gug, Emicida, Raoni Knalha, Indee Styla, Pedro Itan, Chibatinha, DJ Mangaio.

Gravação, Edição de Áudio, Mixagem: Studio T, Salvador/BA

Masterização: Felipe Tichauer

Produção Fonográfica: Isé

Produção Musical: OQuadro e Rafa Dias

Ilustração: Marcio MFR

Direção de arte: Rangell Santana

Coord. de Comunicação: Karlene Rios

Assessoria de Imprensa: Assessoria Bianco

Patrocínio: Natura Musical e do Governo do Estado, através do FazCultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

Gestão de projeto: Simples Produções

Realização: Isé

 

Sobre o Autor

Notícias relacionadas

Comentar