modeHuman – Far From Alaska

modeHuman - Far From Alaska

modeHuman – Far From Alaska

A pegada forte e vibrante do som de Far From Alaska em modeHuman (2014) mostra que há vida musical além das fronteiras do sudeste do país.

A edição brasileira do Loola Palloza de 2015 brindou o público que lá esteve com shows de renomadas bandas e artistas internacionais. Jack White, Pharrel Willians, Smashing Pumpkins, Interpol e até, quem diria, Robert Plant. Entre os nomes consagrados nacionalmente temos Marcelo D2, Pitty e Mombojo. line up do festival poderia contar apenas com as chamadas “atrações de peso”, estas citadas aí em cima, responsáveis por levar a maior parte do público a conferir os shows in loco. Felizmente os organizadores do festival foram além e trouxeram para o Loola Brasil bandas que ainda procuram seu lugar ao sol.

Dentre elas está a potiguar Far From Alaska, que não fica longe apenas do gélido estado norte americano. Encontra-se longe do local onde em tese as coisas acontecem, o chamado Eixo Rio – São Paulo. Embora distantes geograficamente, Far From Alaska é natural de Natal – RN, virtualmente estão próximos de qualquer lugar do mundo. Foi graças ao universo sem fronteiras de internet que podemos ouvir o primeiro álbum dessa jovem banda lançado em 2014: modeHuman. Na verdade eles já estão morando em sampa, conquistando seu espaço neste disputado circuito musical, botando a galera pra olhar para o nordeste do país.

Na estrada desde 2012 conseguiram em apenas três anos cumprir um percurso considerável de sua jornada. Invadem a praia de concreto paulista carimbando seu nome num dos mais importantes festivais de música do mundo. A meu ver isso muito se deve à qualidade de modeHuman. O álbum irradia energia da primeira à última faixa. Leva-nos às origens da música entre os seres humanos, quando dançávamos em volta da fogueira pra celebrar a caça, a colheita farta, quando cantávamos para celebrar a vitória na guerra, quando a música inflamava nossos desejos mais primitivos e nos lançava no mundo sob os cuidados dos instintos.

Em resumo modeHuman nos retira daquela aura monótona gerada pela música contemplativa (chamada por muitos de conceitual), para nos jogar em meio à celebração seja do que for, impulsionados pelo som. E dizem por ai que o rock ficou chato, muito cerebral, homogêneo, emanando pouca energia. modeHuman faz do rock um reator nuclear transbordando energia por onde passa. Far From Alaska dá uma de Prometeu e entrega-nos uma vez mais a chama primordial da música, revitalizada em todas as suas cores e intensidade, animando mais uma vez nossos encontros entre amigos, nossas festas, nossas noites e madrugadas.  

A voz de Emmily Barreto envolve, espalha seu timbre agressivo e potente por cada parte do cérebro, hipnotizando o ouvinte. Enquanto a melodia faz seu trabalho de invadir e conquistar, os diferentes riffs de guitarra dão sustentação em diferentes frentes de batalha. Riffs arrastados garantem o preenchimento de todos os espaços enquanto os riffs tocados nota a nota fazem o contraponto ora com a voz ora com os riffs de sustentação. O baixo dá a dinâmica da marcha com certa pitada de distorção acrescentando volume ao som a cada compasso e a bateria garante a referência pra que a campanha transcorra sem problemas. Efeitos eletrônicos são usados com maestria através do sintetizador, que além de compor o pano de fundo das músicas entra em momentos de passagem dando o contraste entre os momentos agressivos e os suaves.

Far From Alaska apresenta uma sonoridade que se convencionou chamar de stoner rock, mas com certa originalidade que a destaca dos medalhões gringos do gênero. A pegada da banda é firme da primeira à última música. Quem gosta de um som que vai direto ao ponto, sem floreios, terá com modeHuman uma viagem 100% satisfatória. Sem dúvida o álbum é daqueles on the road, a sensação ouvindo o álbum é a mesma de quem está sob efeito da adrenalina correndo em alta velocidade estrada afora.

A banda lançou recentemente seu primeiro clipe. About Knives foi a faixa escolhida para ser traduzida em som e imagem. Inicia com uma divagação sonora produzida através do sintetizador. No transcorrer desta sequência sonora abstrata vai chegando o ponto de culminância em que a banda entra com tudo e a agitação toma conta a partir daí. Ao longo do álbum momentos de surpresa vão surgindo, sempre colocando o ouvinte em alerta.

Vejam o clipe oficial de About Knives e sintam o gosto do que te aguarda em modernHuman de For From Alaska. 

Nota: logo3_notalogo3_notalogo3_notalogo3_notalogo3_nota_pb

Ficha técnica: 

Albúm: modernHuman

Gravação:  Estúdio Tambor (Deck), no Rio de Janeiro

Ano de lançamento 2014

Integrantes: Emmily Barreto(vocal), Cris Botarelli (sintetizadores), Lauro Kirsch (bateria), Rafael Brasil(guitarra) Eduardo Filgueira (baixo)

Sucessos: Dino vs Dino, Thievery, Deadmen                                                                                                

Mixagem: Pedro Garcia (Planet Hemp)                                                                                            

Masterização: Chris Hanzsek, no Hanzsek Audio (Seattle/EUA).

Sobre o Autor

Carlim

Jornalista musical instantâneo, saxofonista entre quatro paredes, híbrido de mineiro e baiano, ex-ateu, devoto ardoroso de São Victor do Horto e fanático religioso da Igreja Universal do Reino do Galo,

Notícias relacionadas

Comentar