Mobb No Corre junto Com Vandal, Baco & DOIS AS – Single Duplo

Mobb No Corre juntou-se a Vandal, Baco & 2AS e soltou duas pedradas pra sentirmos o peso e qualidade do álbum Blueprint, logo menos da praça

18817689_1687950094840121_115387452_o

Essa imagem acima é do já aguardado primeiro disco do rapper baiano Mobb, o qual ao que nos parece parece já dispensa apresentação pra quem acompanha a cena do rap nacional. Natural de Camaçari, Mobb despontou pra cena com seu grupo D.D.H.(aqui o disco), parceria suja junto a Baco & Dj Sly. E foi exatamente recrutando Baco que o mano deu inicio a jornada rumo ao Blueprint, que tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2017.

Um single duplo, que além de Mobb e Baco, trazem ainda a participação de DOISAS e do ladrão de faixas: Vandal. E não poderíamos esperar nada menor e nem com menos qualidade do que o resultado apresentado. Poesia suja, lírica afiada, vida criada!

Em O Corre, primeira parte do single, a reunião dos 4 mc’s num trap pesado produzem linhas sujas sobre os corres de cada, como em perfis. E já podemos lhe adiantar que você vai encontrar reflexões sobre o objetivo do corre (não é o cifrão, é também) – “Capital não tem valor intrínseco.” Mobb. Equivalências poéticas da sujeira da cena e suas disputas: “A cena é suja como o sobrinho que se masturba com a calcinha da tia.” Baco. Postura agressiva e lírica bereta: “Olha pras caries e vê se é graça, nem meu ódio e nem minha brisa são de graça.” DOIS AS.

Vandal fecha a faixa pesado: “Fazia seu rap, enquanto eu roubava/ Jogava sua bola enquanto eu transava/ Cê tava na escola enquanto eu pixava/ Agora eu bagaço e você tá batendo cartão de quebrada. Sonho de vida/ vida criada.”

No Lado B do single, que agora é a continuação do youtube, Mobb traz a dieta dos campeões: Derby & Dreher. E é impossível não pensar na linha de pensamento e lírica, já celebrada do D.D.H. Sujeira underground no talo, enquanto Baco segue a linha de explorar visões do absurdo utilizando a rua como cenário, pagando karmas. Mobb parte pra criticar a indústria, sociedade, pobreza e violência policial numa rapidez absurda e numa associação de pensamentos que remete-nos ao procedimento conhecido como fluxo de consciência.

As duas pedradas tiveram Christian Dactes e Scooby nas mix e master. E agora ficamos aqui pensando se essas duas faixas são extras, se vem aí mais 12 faixas e mais uma extra com menino Dark Mc. A má nova foi anunciada e o nome da bomba é Blueprint (2017). Mas vamo deixar de conversa fiada e ouve aí:

Sobre o Autor

Danilo

Bodyboarder de alma, pandeirista de ocasião. Pagodeiro nas horas loucas. Quer apenas poder dormir em paz nos ônibus e acredita que os fones de ouvido são fundamentais para a criação de uma nova religião capaz de acabar com o mal no mundo. Vive de Boas...

Notícias relacionadas

Comentar