Grandes Lançamentos Rap Nordeste #1 Videoclipes!

Grandes lançamentos Rap Nordeste é uma coluna quinzenal compilando lançamentos do nordeste para que se conheça melhor a qualidade da região!

arma-camera-anuncio-publicitario

Se você como nós tem o mínimo de noção do rap feito no nordeste, sabe que a qualidade e as diferentes propostas musicais e posicionamentos políticos aqui é abundante né? Sendo assim, estabelecemos aqui essa especie de coluna, um espaço fixo onde faremos um recenseamento quinzenal dos lançamentos do rap nordeste, sejam apenas em vídeos, apenas em áudios ou mesclando na mesma seleção os dois tipos de apresentação.

Uma das coisas que o rap nordeste precisa atualmente é construir um público que o consuma de forma inteligente, sem remeter nossas produções à parâmetros que nos são estranhos. Que valorizem o que aqui é produzido e consequentemente façam com que seja possível aos artistas percorrer a região. Seja através das suas produções, mas sobretudo através de turnês. O Rap Nordeste precisa alcançar auto suficiência mercadológica em sua própria região e não depender de shows e do estouro no eixo pra ser consumido. E nem de atrações de fora abrindo line up pra se apresentar em outros estados. 

Mas para que isso ocorra entendemos que o primeiro passo é o bom e velho: NOS OUVIR, NOS VER e termos a nós mesmos como referências, é o tal do Nós Por Nós em ritmo regional, ok? Então sendo assim, pega visão:

1. Soma Crew & Dv Tribo (AL) & (MG)

Fechamento fantástico entre dois grupos revelações do Rap BR, SomaCrew (AL) e os manos de BH, do DV Tribo. Aqui nessa faixa em colaboração, BlackChan, Kblin, Brt e Elibe se juntam aos manos Oreia e Hot com a naturalidade com que lobos se juntam numa matilha. Capitães de Areia vivendo a margem com suas ideias e poesia de lírica suja e agressiva. Esticando as fronteiras geográficas e de pensamento os mineiros de rolé por Alagoas chegaram num beat do baiano DogaLove ( PelaOrla Beats) rapper e produtor. 

No audiovisual, Moises e QUINZE produziram um lyric com imagens dos manos durante os shows, capturados enquanto tramam as linhas ou gravando a track no estúdio Sala Norte. Uma faixa que trata de questões sociais e raciais em chave literária, entre visões da cidade de Alagoas e os personagens travestidos como piratas, capitães de areia, saqueadores do ritmo. Salientando as ideias com uma lírica muito forte, em pique de descontração mas sem perder a agressividade. Não há uma linha desperdiçada de parte a parte! 

2. Diego 157 – Oh Não! (BA)

Se você escuta rap e não conhece o mano Diego 157, acreditamos que você precisa rever sua playlist urgentemente. Rapper, militante e produtor de larga história e atuação no cenário baiano e nordestino, o mano compôs o clássico grupo 157 Nervoso e atualmente cola com a FME (Fraternidade Maus Elementos). Em sua carreira solo Diego já lançou três pedradas em formato de EP’s, dois deles parte de uma trilogia de EP’s, todos em cima de beats do mestre Apollo Brown. E quando falamos pedradas não estamos hipostasiando nada, se duvida saca aqui: Antes da Mixtape (2015), Atemporal (2016) e Equação (2016). Ouviu? Tô mentindo? Ah, sim! Esse ano ainda, o mano Diego anuncia terceira parte da trilogia.

Oh, Não! é uma das faixas presentes no EP Equação, aqui trabalhada sob a perspectiva, sob o olhar da câmera de Bolsehvidz, contando com a edição e finalização do mano Ramires AX. E o fato é que o mano Diego 157 são muitos, contendo diversas visões em sua poesia e ideias musicais. Sempre atuando politicamente, dono de um olhar muito sensível e agressivo nas questões político, sociais e raciais. O vídeo o divide em dois, o poeta boêmio e o malandro estudioso, que certamente são duas personas que caem muito bem no Diego pai, mas também no Diego produtor, no Diego militante, o brincalhão, o pesquisador musical etc…. São muitos os Diegos, descubra o seu!

3. Capadolla – Mitos (Part.Biggie N & Planeta Mafia) (PE)

Como falos aqui em outra oportunidade, é sempre bom esbarrar com figuras como Galo de Souza aka Capadolla, pois vai além da música, vai além desse produto que muitas vezes consumimos distraidamente. Sintonizamos o mano e já nos chegou outra pedrada que vem pra começar a cimentar o trajeto de seu próximo lançamento de peso. Pois se tirarmos por esse clipe aqui, vem muito peso na mixtape que o mano já anuncia pra setembro deste ano. Uma tríade onde Capadolla chega dando o tom da serenidade que o tempo lhe ensinou, enquanto Biggie N e Planeta Máfia engendram a agressividade dos mais novos.

Um dos produtores que mais temos curtido escutar, Primordio (o Comparsa) dá o laudo numa pegada sinistra de boombap. A leveza do mano Galo de Souza vem para nos chamar atenção aos mitos que fundam a nossa luta. Poderíamos pensar se levarmos em conta o audiovisual, no mito de Midas. Com uma fotografia que carrega em tons diferentes de amarelo, seja nas partes coloridas ou em preto e branco. O tema é evolução, independência, consciência politica, liberdade, ou seja, elementos capazes de dourar nossa vida. Poesia rap, respeito e luta pelo hip hop em prol da melhoria do nosso povo. Midas capazes de transformar em ouro palavras, tal como sugerido pelo visual do clipe!

Um primeiro passo para um lançamento que promete muito e do qual Mitos é o primeiro single para a mixtape Gangster Praiero (2017). O disco que ainda contará também com as participações de Projeto Carranca, Seth DC, Mulambo DC, Jaozin NTS. logo menos o próximo clipe estará na rua então sintonizem o mano e colham raps de qualidade.

4. Brow Louco – TRAPE$ADO (RN)

Esse mano tem me consumido, lançando sempre trampos de muita qualidade e atuando em seu estado com muita gana e profissionalismo. Ainda não tínhamos conseguido a sincronia necessária entre seus lançamentos  e nossa disponibilidade para escrever sobre. O que não nos impediu de acompanhar o lançamento do excelente EP de estreia Carta À Sanidade (2016). Assim como não nos é desconhecida a sua atuação com o selo OKA Produções, responsável por muitos lançamentos de peso do Rap RN. 

Brow Louco vem ao longo dos seus 7 anos de caminhada no Rap, construindo não apenas – o que não é pouco – a legitimidade na construção da cena de seu estado. Mas sobretudo ou juntamente, como preferir, lapidando suas ideias e a qualidade de sua arte. Trape$ado é um vídeo construído a partir de uma performance do Mc ao vivo, captada por Thamires Seabra, e ilustra bem o que é a vibe de suas apresentações. Num beat trapesado do mano TSJAY, o mano desfila duas qualidades muito iminentes: Conteúdo lírico certeiro e violento, além dee técnica suficiente para figurar nos primeiros escalões do rap nacional. E com um pequeno adendo: Que porra de refrão chiclete do caralho! Escute…

5. Jerry Lii – Sem Sucesso (AL)

Olhar pra dentro é sempre o primeiro e mais certeiro passo, método que o público nordestino parece desconhecer, sempre olhando para o que lhe é empurrado. Jefferson Moura aka Jerry Loko aka Jerry Lii faz parte do Time da Quebra, do qual já falamos aqui no site. Um dos grupos que vem buscando identidade em sua música, se apegando a sua própria cultura para conseguir desenvolver uma linguagem original. E nesse lançamento solo do mano Jerry Lii, não é diferente, ele deixa claro que quer: “Queria dar um rolê em sampa, lá em Rj, mas primeiro quero conhecer minha terra“. Fica a dica… 

Já na correria do rap desde 2007 e passando por vários grupos, com um disco solo lançado: Sem Motivos Pra Sorrir mas Sorrindo (2013), e um projeto com Felipe Coringa intitulado Faz Sentido Voz&Violão (2017) Jerry Lii vem evoluindo bastante em sua arte. Exatamente por essa necessidade de experimentar linguagens diversas. E sem precisar de muitas audições podemos facilmente afirmar que esse atual trabalho solo é a síntese perfeita dos dois trabalhos acima referidos. O artista rima com um flow muito versátil ao mesmo tempo que canta com pitadas de R&B, dividindo as linhas em ritmos diversos. Toda essa técnica preenchida de muita visão social, politica e com uma poesia muito forte. Capturado pela Mídia de Rua pelas ruas de Alagoas, em sua orla mais especificamente, em preto e branco, com uma fotografia bonita. Um trabalho que é apenas o preludio de muitas novidades que vem pela frente! 

6. Cypher D’Cria Vol. 1 Acria, Joãozim, Chipan, Maggo Mc & Zé Brown (PE)

Projetos audaciosos demandam muitos esforços distintos, muito pensamento para estruturar aquilo que se sonha, mas o Cypher D’Cria foi além e trouxe um totem do rap nacional. O projeto é transformar em um DVD, ao chegarem no 10º episódio de cyphers com nomes de vários estados brasileiros. Além de congregar os outros elementos do hip hop e dos esportes radicais como o skate. Tudo isso de forma independente, dependendo apenas dos profissionais que produziram cada episódio. 

Nessa primeira edição já podemos sentir o peso e a força do projeto, que reuniu Acria, Jãozim Nts, Chipan, Maggo Mc  e uma lenda viva do rap, Zé Brown (Faces do Subúrbio).  A cabeça que finaliza essa bonita iniciativa, com manos destilando poesia de rua, cada qual com seus estilos e singularidades. Todos no tempo do beat produzido por Rimocrata são captados em planos sequência por Carbonel e Toca Estúdio.  

A câmera emerge do fundo do mangue até o Alto Zé do Pinho, percorrendo as ruas que beiram o rio onde em suas beiras a inspiração para o Manguebeat foi colhida. O audiovisual extremamente bem pensado e executado se combina com as poesias levadas e beat. Propondo uma ideia de ascensão que deve ser sempre a meta do rap, do asfalto ao morro e vice versa. Num movimento dialético entre poesia e imagem que só nos transmite movimentos de libertação. 

Sobre o Autor

Danilo

Bodyboarder de alma, pandeirista de ocasião. Pagodeiro nas horas loucas. Quer apenas poder dormir em paz nos ônibus e acredita que os fones de ouvido são fundamentais para a criação de uma nova religião capaz de acabar com o mal no mundo. Vive de Boas...

Notícias relacionadas

Comentar