Bluegrass Desapegado (EP), 2016.

Bluegrass Desapegado, novo EP do Gigito,  música urbana e rural emboladas num mesmo som!

a3916642864_10

Deve ter uma galera aí se perguntando: “Mas que porra é bluegrass?”. Nada de errado em ficar espantado ao se deparar com essa palavra, tampouco se espantar com a sonoridade que ela procura definir. Isso porque se trata de um som tipicamente americano, que podemos considerar se tratar de um subgênero da country music americana. Essa é uma descrição bastante rasteira do bluegrass uma vez que há subdivisões dentro do próprio bluegrass como o traditional bluegrass, gospel bluegrass e o progressive bluegrass. 

Grosso modo, podemos considerar o bluegrass um gênero musical nascido na zona rural americana, assim como o blues, porém, com a diferença de ter nascido entre a população rural branca. Podemos considerar a nossa música caipira como nosso gênero musical equivalente do bluegrass.  Assim como a viola é peça fundamental na constituição da nossa música caipira o banjo o é para o  bluegrass. Se quisermos radicalizar podemos dizer que não há bluegrass sem o banjo. Desculpem pela digressão mas acho que vai ajudar  a se inteira minimante a respeito do que cês estão prestes a ouvir.

Em março Gigito lançou mais um Ep. Pelas minhas contas, feitas vasculhando o perfil da banda no soundcloud, este é o quarto. Bluesgrass Desapegado tem seis faixas entre autorais e covers. Bom, tecnicamente são covers, mas arranjadas de tal modo a ganharem uma nova identidade, a ponto de se tornarem parte harmônica do todo, o Ep, e parecerem ter sido compostas pelo  próprio Gigito. 

Gigito é um cara …. mas também é uma banda, que além do Gigito no banjo e nos vocais, conta, na formação atual, com Daniel Ianni no baixo e backing vocal e Diogo na bateria/ percussão. O que nas gravações do Bluesgrass Desapegado era um power duo (as gravações para o Ep contaram apenas com Gigito e Daniel) tornou-se um power trio com a entrada de Diogo. Essa formação que no mundo do rock se consolidou com a tríade Guitarra, Baixo e Bateria, foi muito bem adaptada à tríada Banjo, Baixo e Percussão. A força sonora do banjo consegue fazer com que a guitarra seja esquecida, o timbre deste instrumento por si só é bastante encorpado, por vezes agressivo.  O power trio clássico cai por terra pra dar lugar a uma tríade incomum, porém cheia de potencialidades, que são muito bem exploradas por Gigito.

“GIGITO tem o bluegrass como ponto de partida para as suas canções. Apesar disso não se atém a este universo e vai além, numa tentativa de incorporar outras sonoridades e temas. É um bluegrass desapegado ou talvez somente música feita com banjo”.

Assim Gigito define sua musicalidade, a necessidade de unir outros estilos ao seu som, resultando num bluegrass de autenticidade cunhada na sua originalidade. A ligação com a as raízes do bluegrass ficam em evidência no cover I Know You´re Married, composta por Don Reno and Mack Magaha, famosa na versão de Reno e Smiley. Na versão feita por Gigito a música é completamente despida de sua sonoridade tradicional, adquirindo contornos urbanos e expressividade com algumas pitadas de agressividade. 

Foggy Mountain Breakdown, o nome não vai levar sua mente a fazer nenhuma associação, porém, se há uma música no universo bluesgrass que pode ser chamada de hit, portanto, dentro de um raio de popularidade mais amplo é ela. Certamente você já ouviu essa música alguma vez, seja em filmes ou séries de tv. Foi composta por Earl Scruggs, que a gravou com Lester Flatt, com quem formava dupla. Ouça aqui Flatt & Scruggs, tocando a versão original de Foggy Mountain Breakdown.  

Night Train To Memphis fecha a lista de cover do Ep. Também um hit do bluegrass, pode ser ouvida aqui numa interpretação mais tradicional na versão de Grandpa Jones. Agora você tem os contrapontos para entender a proposta de Gigito ao fazer seus covers. As músicas tem sua forma reestruturada, porém sua essência se preserva, adaptando-se perfeitamente ao lar urbano e moderno onde Gigito as aloja. 

Além desses três covers, Bluegrass Desapegado tem mais 2 faixas, todas compostas por Gigito. Nessa duo autoral conseguimos ver a face de Gigito por completo, até então o vimos de perfil. A criatividade e o humor das letras conjugada ao som feito com banjo, revela um som desapegado do bluegrass é verdade, mas não completamente. 

Viver Sonâmbulo, terceira faixa do Ep, a letra relata o cotidiano de toda uma geração de jovens, eternamente curtindo a preguiça na frente da tv, que está ali apenas para entorpecer, pois não importa o que esteja passando, nem mesmo se for I Carly. A levada da música é preguiçosa, acentuando a lombra do ouvinte que certamente não vai resistir e dar uma de Zé Buscapé e se escorar na primeira parede que encontrar. Gigito é um letrista refinado, que consegue construir boas sacadas, versos permeados de humor e tiradas sagazes. Ele consegue ser igualmente original tanto no que diz respeito à música propriamente dita quanto na composição das letras. Essa música em particular, deixa evidente a eximia combinação desses elementos por parte de Gigito.

Partimos para o dedilhado ininterrupto de É Dureza Não Ter o Que Fazer, Mas Não Fazer Nada Também É Bom. O andamento é mais rápido, a letra da música consiste na repetição do título pronunciada de modo pouco compreensível revelando um desanimo profundo em abrir a boca pra dizer algo. Triste situação de quem ta entre a cruz e a espada, ou neste caso, entre não ter o que fazer não fazer nada.

Gigito vai muito além do bluegrass, as influências e preferências  musicais giram, também, em torno do território selvagem do rock. Ouçam a versão bluegrass de Into The Void do Black Sabbath e tenham a medida por onde a criatividade e inspiração levam o músico. Não há barreiras que consigam deter as investidas de Gigito em busca de novos sons. Fecha o Ep a faixa Conversa Pra Boy Dormir, música da banda DFC, que trás à tona a veia punk de Gigito. Nesta versão ele consegue fundir a agressividade desse gênero com a estrutura musical do bluegrass, resultando numa sonoridade particular, que consegue se desvencilhar de qualquer rótulo que tente associá-lo a algo já conhecido. 

O bluegrass de Gigito é desapegado, seu apego total é por fazer música. Em seu perfil no Soundcloud não param de surgir novas gravações. Lá encontraremos um considerável acervo de gravações postadas ao longo dos anos. A tara por tocar é tão grande que onde houver um lugar em Slavador que se possa fazer um som Gigito se faz presente. Não estou exagerando, portanto, esteja de ouvidos sempre atentos quando estiver de rolê por aí. Caso capte sons frenéticos de banjo sendo carregados pelo ar esteja certo, Gigito está pelas redondezas. 

Sobre o Autor

Carlim

Jornalista musical instantâneo, saxofonista entre quatro paredes, híbrido de mineiro e baiano, ex-ateu, devoto ardoroso de São Victor do Horto e fanático religioso da Igreja Universal do Reino do Galo,

Notícias relacionadas

Comentar